Monday, September 7, 2009

Retrato


Num canto entretida com as suas missangas e a sua arte (arte huichol) não se deu conta quando me aproximei. Perguntei-lhe se podia tirar o seu retrato. Um sorriso tímido e um abanar de cabeça suave autorizaram-me. Não me deixou captar o seu olhar; mas agarrei a sua expressão reservada e distante daquela foto, mergulhada naquela mistura colorida de vestimentas que tão bem caracteriza as indígenas mexicanas.



Contrastes. Indígena mexicana à entrada de uma casa moderna.


7 comments:

  1. Obrigado Gimbras! Tentando sempre explorar o que uma fotografia nos pode transmitir.

    Abraço,
    Silvia

    ReplyDelete
  2. Olá SM,

    Para muita gente, a sensação de ter a objectiva de uma câmara apontada à cara é semelhante à de ter uma arma à frente. É uma coisa que intimida. E na verdade, não há nada mais íntimo e revelador que um olhar. Daí muita gente fugir de cruzar os olhos, seja com quem for; daí muita gente refugiar-se sempre atrás das lentes de uns óculos escuros.

    Beijo,

    Alexandre Correia

    ReplyDelete
  3. Esta foto permitiu-lhe viajar mais longe que alguma vez irá...
    muito bonito
    bjinho

    ReplyDelete
  4. Olá Alexandre,

    Compreendo bem o que diz. Também eu me sinto muitas vezes intimidada pela objectiva de uma câmara (e outras simplesmente fujo deixando a paisagem para a foto). O olhar pode ser mesmo muito revelador.

    Um abraço,
    Silvia

    ReplyDelete
  5. Olá mjoaob,

    Sem dúvida que há imagens (algumas que não pude materializar) que me levaram em certos momentos para bem longe daqui, longe desta simples “existência terrestre”. Essas viagens acabam por ser as mais importantes…

    Beijinhos,
    Silvia

    ReplyDelete